segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Concurso de redação e desenho

Concurso de redação e desenho sobre o tema: "Como posso preservar o meio ambiente"
Realização CDL - Câmara de Dirigentes Lojistas e parceria com a Secretaria Municipal de Educação



Escolas participantes:

EMEB Prof Quiliano Martins
 Aluna: Kelly Cristina de Castro
Turma: 4º Ano
Professora: Denise Rodrigues
REDAÇÃO: Meio Ambiente hoje e sempre
Aluna: Gabriele Tureck Fagundes
Turma: 9º Ano
Professora:Denise Rodrigues

EMEB Prof Pedro Henrique Berkenbrock
Aluna:Thais Cristina da Silva
Turma: 4º Ano
Professora: Valciria Ap Graff Chapiewsky

EMEB Padre Claudio Longen
Aluno: Álvaro da Cruz Chaves
Turma: 4º Ano
Professora: Marilda Batista

EMEB Adélia da Luz Souzsa
Aluno: Kauan Uhlick Martins
 Turma: 2º Ano
Professor: Adriano Carvalho

EMEB Menino Jesus
Aluna: Barbará Lana Hacke
Turma: 3º Ano
Professora: Sirlene Denke


EMEB Pioneiro Marcelino Stoeberl
Aluno: Felipe de Oliveira
Turma: 3º Ano
Professora: Sheila Sacht Franco


EMEB Henrique Liebl
Aluno: Bruno H. Nogueira
Turma: 5º Ano
Professora: Raquel A. B. Funk
REDAÇÃO: Pequenas ações, grandes resultados para o Meio Ambiente
Aluna: Ana Karolina Panneitz
Turma: 8º Ano
Professora: Jucélia Ap Soares

EMEB Prof Arnaldo de Almeida Oliveira
Aluna: Luana Iarek Katzer
Turma: 5º Ano
Professora: Sirlei Terezinha A. Cordeiro

EMEJA Prof Alberto Tomelin
Aluno: Adão Costa Moreira
Turma: Alfabetização de Adultos
Professora: Stella Maris Muehlbauer  Tschoeke
REDAÇÃO: O Meio Ambiente
Aluna: Vaumir Antonio Lemes
Turma: 9º Ano
Professora: Dilma Aparecida Fleischmann

EMEB Professora Selma Teixeira Graboski
Aluna: Kerolin Machado dos Santos
Turma: 3º Ano
Professora: Claudia R Kosmala
REDAÇÃO: Como posso preservar oMeio Ambiente
Aluna: Adrielly Poletto
Turma: 7º Ano
Professora: Leonice W. Kraniz



EMEB Prof Lucinda Maros Pscheidt
 Aluno: Cleverson Zbozne Dupczak
Turma: 2º Ano
Professor: Juliano Cesar Ferreira
REDAÇÃO: Como mostrar nosso amor à natureza
Aluna: Maria Patricia de Moraes
Turma: 7º Ano
Professora: Juliano Cesar Ferreira

EMEB Prof Aurora Siqueira Jablonski
Aluna: Julya Pietra Baum
Turma: 4º Ano
Professora: Denise Rodrigues

REDAÇÃO: Como posso preservar o Meio Ambiente
Aluna: Giovana Nunes
Turma: 9º Ano
Professora: Denise Rodrigues

EMEB Prof Ricardo Hoffmann
Aluno: Fernando Camargo
Turma: 6º Ano
Professora: Alexandra Taborda
REDAÇÃO: Como posso preservar o meio ambiente

Aluna: Pauliny Largura
Turma: 9º Ano
Professora: Ivanir Lourenço
REDAÇÃO: Apenas em gesto


CDL e Secretaria Municipal de Educação selecionam o desenho e a redação.
que em breve será divulgado.






quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Tecnologia nas escolas: Porquê? Para quê? Como?

Tecnologia nas escolas: Porquê? Para quê? Como?


Image
“Ambiente para transformações já existe. Segundo a pesquisa realizada em 2012 pelo Centro de Estudos sobre Tecnologias da Informação e Comunicação, em São Paulo, 95% dos estudantes brasileiros já utilizaram computador e 92% navegaram na internet, com o acesso à rede em casa, cibercafés e lan houses. Entre os professores, 99% são usuários da rede e 97% têm computador pessoal. A presença dos equipamentos nas escolas também vem crescendo. Entre 1999 e 2012 foram instalados 85 mil laboratórios de informática nas escolas públicas segundo o Ministério da Educação (MEC)”. [Um link para a aprendizagem. artigo de Aurélio Amaral, para a revista Gestão Escolar, edição de agosto e setembro de 2013].

Os recursos chegaram nas escolas. Os dados e a realidade comprovam isso. A tecnologia está presente, tanto nas escolas particulares quanto nas públicas, na realidade de vida dos alunos assim como na dos professores. A educação brasileira está conectada, cada vez mais, inclusive em localidades distantes, onde se imaginava que esta possibilidade demoraria períodos longos para se estabelecer.
Cabem então perguntas que precisam ser respondidas de forma pontual para que recursos como computadores, lousas digitais, notebooks, classmates, tablets e outros devices, ligados a rede mundial de computadores, sejam usados de modo mais constante e articulado com outros recursos para melhor ensinar os conteúdos e desenvolver as competências e habilidades dos milhões de alunos brasileiros.
A primeira questão refere-se ao porquê, ou seja, aos motivos que nos ensejam a usar esta tecnologia em sala de aula e, certamente, apesar de aparentemente ser fácil responder, demanda atenção e critério em sua elaboração.
Vivemos numa era em que os processos gerais associados a existência humana estão sendo digitalizados e/ou virtualizados. As informações estão migrando há pelo menos 2 décadas do papel para os computadores. A forma como criamos e socializamos dados associa-se atualmente aos bits e bytes e, para a nova geração de habitantes do planeta, em especial aquela nascida depois de 1995, quando o fenômeno Netscape começou a popularizar a internet no mundo, a realidade não pode ser dissociada destas novas tecnologias de informação e comunicação.
Os alunos, portanto, demandam linguagens associadas ao que lhes é peculiar ao longo do dia, seja em seus computadores ou tablets, seja através de seus smartphones ou, principalmente, nas relações com seus pares, ensejadas por estes meios. E entre aqueles que compõem seu dia a dia, ao menos por jornadas de 4 a 5 horas diárias, estão os professores, com os quais, espera-se, venham a ter acesso ao conhecimento produzido e sistematizado pela humanidade há séculos.
Somente isso já bastaria para firmar a necessidade da tecnologia nas escolas, não é mesmo? Mas temos que pensar além e perceber também as particularidades destes recursos, que nos permitem acesso a informações em tempo real, buscando dados em bases localizadas em qualquer canto do mundo, permitindo visitas as principais bibliotecas e acervos do planeta [e quanto a isso o papel da escola é decisivo, pois aos educadores compete indicar os melhores caminhos da rede, aqueles nos quais os estudantes possam ter acesso a informações corretas, de bases confiáveis, como universidades, estatísticas e relatórios oficiais, órgãos informativos reconhecidos, empresas consolidadas…
Além da velocidade e do acesso a gigantescos bancos de dados confiáveis, há também a questão da multimídia oferecida através da rede mundial de computadores, ou seja, da possibilidade de se aprender não apenas através de textos, mas também de vídeos, simulações, arquivos de áudio, animações, imagens…
E se não bastasse, através das tecnologias é possível criar redes a conectar os alunos, os professores e todo o mundo ao alcance dos sinais da internet. Por estas redes, desde que articuladas, pensadas e propostas para estas finalidades, é possível criar grupos de estudo, por exemplo, em que os alunos entre si se auxiliem quanto a dúvidas, trabalhem para a construção de projetos, busquem dados sobre os assuntos relacionados a realidade, compreendam o valor e o sentido da aprendizagem realizada nas escolas.
Tudo isso, é claro, sem perder de vista os processos, metodologias e procedimentos já consagrados nas escolas, associando a eles não apenas o uso planejado das tecnologias como novo e eficiente conjunto de recursos, mas também pautado em práticas que já estão sendo usadas em escolas brasileiras ou de outros países, como a sala de aula invertida (a flipped classroom), as MOOCs (cursos virtuais a distância oferecidos pelas melhores universidades do mundo) ou videoaulas como aquelas criadas por Salman Khan, que compõem o acervo da Khan Academy.
A escola hoje não pode prescindir das tecnologias assim como, tampouco pode abrir mão dos livros, de momentos em que serão necessárias explanações e conceituações por parte dos professores a frente dos alunos, de momentos fora do universo virtual em que os estudantes realizem arte ou esporte ou experimentos em laboratórios, das visitas programadas a museus e exposições…
Articular todas estas possibilidades é o grande desafio. Inserir as tecnologias no dia a dia compõe, para as escolas, outra grande vitória a ser conquistada. Vencer os modelos pré-estabelecidos de aulas, em relação aos quais o uso da tecnologia ainda é ínfimo ou apenas curiosidade, vitoriosos em grande parte dos casos, mas que já não tem o mesmo impacto sobre a geração digital de alunos deste século XXI, é outra tarefa que se faz presente no horizonte das escolas.
E é nesse ínterim que já vamos respondendo as duas outras perguntas, ou seja, o para quê e como. Se não integrarmos aos demais recursos e metodologias o uso das tecnologias, logo estaremos pregando no deserto, diante de alunos que estarão por ali para cumprir o compromisso, bater o cartão e voltar para o mundo plugado de onde vieram. Neste sentido compete ao professor compreender que no processo da comunicação, aquele em que há emissores e receptores de mensagens, a relação é de mão dupla, ou seja, os educadores tem que aprender a ouvir esta geração conectada e lhes oportunizar a informação científica, esclarecida, pesquisada e de qualidade que a escola, em contato com o mundo, seleciona, filtra e direciona para o crescimento destes estudantes. O professor não é, neste novo modelo, o transmissor de informações único e, em assim sendo, é preciso estabelecer diálogos, propor debates, ensejar informações, trabalhar com projetos, provocar e estimular o aluno.
A migração para este novo universo não é fácil, afinal de contas temos uma geração de transição entre os docentes do Brasil e do mundo hoje. Professores que nasceram analógicos e que estão sendo cobrados no sentido de se tornarem digitais e isso certamente mexe com todos, como provocação e estímulo ao mesmo tempo em que muitas vezes causa dor e sofrimento. É como um parto, em que estamos seguros e confortáveis no útero materno para que, passados os nove meses, tenhamos que sair para o mundo, encarar a luz e todos os desafios que há lá fora… O importante, ao final das contas, é perceber que todo e qualquer recurso tecnológico a ser usado na escola, precisa ser maturado entre os professores, ou seja, incorporado ao seu cotidiano sem sobressaltos, permitindo aos docentes perceber o que são, como funcionam, de que forma podem ajudar nas aulas, que participação podem ter nos cursos e, aos poucos, na medida de cada um, passarem a frequentar as aulas, até o momento em que de lá não mais sairão.
Só para exemplificar e terminar, veja o caso das lousas digitais interativas, que compõem a evolução dos quadros negros (ou verdes), onde se escreve com giz, substituídos por quadros brancos, com canetas piloto, que por sua vez viram surgir os retroprojetores, com aulas sendo preparadas em transparências ou, mais recentemente, com o advento dos equipamentos datashow… As lousas digitais interativas permitem fazer tudo o que estes recursos que a antecederam faziam com acréscimos como inserir vídeos, abrir animações, escrever e gravar os dados para depois compartilhar com os alunos, gravar a aula como filme para que os alunos vejam os dados associados a explicações e outros meios usados durante as aulas… No começo, ao usar lousas digitais, há um certo desconforto (o giz parece mais fácil de usar, dizem alguns professores), superado ao longo do tempo, com a familiaridade com os recursos da lousa. Depois de alguma insistência, os professores concluem que a vida melhora, suas aulas ficam mais ricas pelas multimídias, os alunos participam mais e demonstram maior interesse e, por aí vai…
Por João Luís de Almeida Machado

Fonte: http://pensarecausar.wordpress.com/2013/09/23/tecnologia-nas-escolas-porque-para-que-como/

Mais uma etapa do Plano Municipal de Educação

Nesta quarta-feira 25 de setembro estiveram reunidos, professores, gestores, equipe administrativa e comunidade em geral para repensar mais uma etapa do Plano Municipal de Educação.
Palestra sobre: Educação e Meio Ambiente 
Realizado pelo Professor Ilton Agostini Junior


 Palestra sobre: Educação do Campo 
Realizada pela professora Adriana Cristina Serpa Silva

CMEI Clara Luz retoma o atendimento


CMEI Clara Luz retoma o atendimento
A diretora do Centro Municipal de Educação Infantil Clara Luz, no Centro de Rio Negrinho, próximo a Confermaco, Marlene Milde da Silva comunica a todos os pais dos alunos do CMEI que o atendimento volta ao normal a partir desta quarta-feira, 25 de setembro. As aulas tinham sido suspensas porque o acesso ao CMEI estava inundado. Mais informações pelo telefone: 3644.8078.

Esporte realiza troca de faixa na modalidade de Caratê masculino e feminino

Esporte realiza troca de faixa na modalidade de Caratê masculino e feminino
No sábado (21) aconteceu a segunda troca anual de faixa nas cores Amarela, Laranja, Vermelha, Verde, Preta, Cinza e Azul dos alunos da escolinha de Caratê masculino e feminino da Fundação Municipal de Esportes de Rio Negrinho. O evento contou com a presença do Diretor Presidente da Fundação Nilson Rodrigues Pinto, o presidente da Câmara de Vereadores José Cleomar Nicoletti e familiares.

Durante seu discurso, o Diretor Presidente Nilson Rodrigues Pinto, parabenizou todos os atletas pelo excelente desempenho nas aulas de Karatê. “A presença dos pais demonstra o apoio que a escolinha recebe a cada participação e o resultado são os troféus e medalhas conquistados pela nossa equipe. Fruto da dedicação e o empenho de cada aluno e do professor. Nessa troca de faixa percebemos a perfeição na execução dos katas, fechando mais um ciclo dentro da modalidade do caratê” - ressaltou o diretor presidente.

Nilson aproveitou para agradecer o trabalho realizado por toda equipe do esporte e de modo especial ao professor Sansei Valdir Antunes pela condução dos trabalhos nesse primeiro semestre e a Acadêmica do Curso de Educação Física da Univille Karoline Azevedo.

Relação de alunos que passaram de faixa:

AMARELA
VANDERLEIA
LUIS MIGUEL
EDUARDO
MARIA EDU.
CLAUDIA
RANAEL

LARANJA
GABRIEL
ANDRÉ
NATANIEL

VERMELHA
CHARLES

VERDE
RAFAEL M.
RAFAEL R.

PRETA
CLEITON
LUANA
ALEX
BRUNA

CINZA
JULIANA
HENRIQUE
AUGUSTO
HERICK
KAIQUE
WESLEY
IGOR
ANA CAR.
ADRIAN
ERIC
PEDRO
LUIS H.
CRISTIAN
AMANDA
GABRIEL M.
KENILIN
LUAN
BRUNO
JONATHAN
LUIS C.
ADRIAN
ERICK R.
GABRIEL A.
ESTEFANI
EMILIN
LUCAS


AZUL
ROSIMEIRE

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Visita a Brasilia


     A equipe técnico administrativa pedagógica da Secretaria Municipal de Educação juntamente com a Secretária Anita Meister Raschke, reuniu-se com o Prefeito Alcides a fim de repassar os resultados da visita a Brasília via Deputado Mauro Mariani.

          A Secretária Municipal de Educação informou que a emenda parlamentar do deputado para a compra dos tablets e notebooks está garantida, porém, antes dessa aquisição, é necessário fazer todo cabeamento, estruturação da parte elétrica, bem como aquisição de mobiliário para carregamento e segurança do equipamento. O montante dessa primeira etapa perfaz um montante de cerca de 1 milhão de reais, custeados com recursos da Educação do município.

      A grande preocupação comum ao Deputado, Prefeito municipal e Secretária de Educação é que esta ação somada às demais que já acontecem nas Unidades Escolares Municipais, venham a contribuir efetivamente na garantia de aprender do aluno. Trata-se de mais uma ferramenta que, agregada às demais no trabalho do professor tem como objetivo elevação dos índices educacionais do município.

            Em visita ao INEP, a equipe foi recebida pelo Diretor de Avaliação do Ensino Básico , Alexandre André dos Santos, que em conversa esclareceu sobre avaliações em larga escala, como a Prova Brasil entre outras, assim como seu impacto nos índices educacionais do município. O principal é o IDEB, calculado com base na taxa de rendimento escolar (aprovação e evasão) e no desempenho dos alunos no Saeb (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica) e na Prova Brasil. Ou seja, quanto maior for a nota da instituição no teste e quanto menos repetências e desistências ela registrar, melhor será a sua classificação, numa escala de zero a dez. Porem esse mecanismo está muito bem amparado. Sendo assim, se uma escola passar seus alunos de ano sem que eles tenham realmente aprendido, por exemplo, isso ficará claro a partir da análise do desempenho dela no Ideb. 

           No FNDE, Mauro esteve presente com a equipe, acompanhando as ações do PAR – Plano de Ações Articuladas- do município. Fomos contemplados com mais 4 ônibus , mobiliário garantindo acessibilidade de cadeirantes, ventiladores e aparelhos de ar condicionado. Muitas foram as orientações recebidas buscando melhorar a Educação do município.
“Tudo isso só foi possível graças ao deputado Mauro Mariani -sempre comprometido com a Educação do nosso município- que prontamente agendou contatos, nos recebeu, acompanhou-nos nas visitas e assegurou financeiramente que nada onerasse ao orçamento do município. Somos muito gratos tanto a ele quanto ao Prefeito, pela oportunidade”, ressalta Anita.



Concurso de desenhos e frase na semana do Trânsito

Detranrine promove Concurso de desenhos e frase na semana do Trânsito

O Departamento de Transporte e Trânsito – Detranrine da Secretaria de Planejamento e Meio ambiente da prefeitura de Rio Negrinho, com apoio da Circunscrição de trânsito de Rio Negrinho - CITRAN, Serviço Social do Transporte e Serviço e Serviço Nacionald e Aprendizagem do Transporte - Sest/Senat e Polícia Militar promoveu nas escolas de rede Municipal de Ensino o III Concurso de Desenhos e Frases, alusivas a Semana Nacional de Trânsito que é comemorada de 18 a 25 de setembro com o tema “Sua atenção pode salvar vidas”. Participaram na Categoria “desenho”, alunos do 1º ao 5º ano e categoria “frases” para alunos do 6º ao 9º ano.

Segundo o Diretor do Detranrine, Gláucio Liebl, o objetivo foi estimular a reflexão sobre a Semana Nacional de Trânsito nas escolas. “A motivação como sempre contamos com a parceria da Secretaria Municipal de Educação, através dos diretores e professores das escolas que já fizeram uma primeira seleção. Agora os desenhos e frases passam pela avaliação de uma comissão julgadora formada por membros do Citran, Detranrine e Sest/Senat”, afirmou Gláucio.

Os alunos classificados nas categorias desenhos e frases estarão recebendo até o 3º lugar certificado, camiseta e troféu. Os demais alunos classificados vão receber medalhas. Os professores dos alunos classificados em 1º lugar e a escola com maior número de premiados também serão premiados.

Gláucio informa ainda que a divulgação dos resultados acontecerá no sábado, 28 de setembro a partir das 8h30 no evento especial organizado para ressaltar a importância da Semana Nacional de Trânsito, no pátio da Matriz Santo Antonio de Pádua no Centro da cidade.

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Quarta-feira 25 de setembro mais uma etapa do Plano Municipal de Educação
Palestra sobre: Educação e Meio Ambiente e Educação do Campo

Secretaria de Educação oferece excelência na merenda escolar

Secretaria de Educação oferece excelência na merenda escolar


“Nós exigimos e oferecemos o que tem de melhor para nossos alunos da rede municipal de ensino”, destacou a diretora do Departamento da Merenda Escolar Eliane Treml. A excelência na gestão da merenda escolar passa desde o planejamento, compras dos alimentos, analise dos alimentos, distribuição, armazenamento e o preparo. Em todas as etapas a equipe da merenda confere diariamente se a qualidade nos serviços e alimentos é mantida. Tudo num processo criterioso, cuidando inclusive da merenda aos alunos com intolerância, por exemplo, a lactose, em que um alimento diferenciado é servido.
O Departamento de Merenda Escolar da Secretaria Municipal de Educação fez nessa semana a entrega dos uniformes para as merendeiras e auxiliares de serviços gerais das unidades escolares da Rede Municipal de Ensino. Foram entregues a cada servidor dois jalecos, com cores diferentes, de acordo com a função executada. A cor verde para as merendeiras e na cor cinza para as auxiliares. Ao todo foram 126 jalecos para merendeiras entregues e 156 para auxiliares.
“Além de facilitar a identificação dos funcionários, o uso de uniformes tem por objetivo colaborar para um ambiente mais limpo e seguro, no caso das cozinhas, evitando assim possíveis contaminações dos alimentos e também prevenção de acidentes” destacou a nutricionista Camille Binder

Atividades enaltecem o Civismo no CMEI Clara Luz

Atividades enaltecem o Civismo no CMEI Clara Luz


No Centro Municipal de Educação Infantil Clara Luz no Centro de Rio Negrinho, o Civismo é levado a sério, essa foi à afirmação da Diretora Marlene Silva. “Se incutirmos nas crianças desde a mais tenra idade o civismo com certeza ela vai levar para a vida. O simples fato de ela participar de uma atividade envolvendo o tema pátria, o trabalho do professor e a organização da sessão Cívica e claro o desfile já marcam profundamente na criança”, afirmou a diretora Marlene Milde da Silva.
Conforme a diretora, várias atividades envolvendo o tema “Pátria” foram trabalhados nas aulas no CMEI Clara Luz neste início de Setembro. Participaram as turmas do Berçário, Maternal, Nível I, Nível II-A, Nível II-B e Nível III.
Marlene explica que as crianças conheceram a bandeira, ouviram o hino e fizeram apresentações. “Como forma de homenagear a pátria e lembrar a importância do civismo, o CMEI participou do desfile do 7 de setembro com a presença dos pais, alunos e servidores”, finalizou a diretora Marlene.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Desfile Cívico 7 de setembro

Desfile Cívico de 7 de setembro em Rio Negrinho

Secretaria Municipal de Educação de Rio Negrinho divulga seqüência oficial do Desfile Cívico do 7 de setembro em Rio Negrinho. Na sede do município o desfile acontece na rua Willy Jung, bairro Centro, sentido rodoviária para o centro. Os atos cívicos de hasteamento dos pavilhões, Nacional, Estadual, Municipal e os pronunciamentos das autoridades iniciam às 8h e logo após o desfile Cívico com a participação das Escolas municipais, estaduais, particular entidades e clubes de serviços. No Distrito de Volta Grande o desfile vai acontecer na rua Pascoalino Burnacorso, próximo a Sub-Prefeitura, os atos Cívicos iniciam às 15:00h.

Seqüência oficial do desfile na cidade 
1 – Corpo de Bombeiros Militar de Rio Negrinho
2 – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais - APAE.
3 – CMEI João e Maria.
4 – CMEI Mundo Encantado.
5 – CMEI Pequeno Príncipe.
6 – CMEI Vila Nova.
7 – CMEI Clara Luz.
8 – CMEI São Pedro.
9 – CMEI Tempo Feliz.
10 – CMEI Algodão Doce.
11 – CMEI Espaço Criança.
12 – CMEI Jardim Primavera.
13 – CMEI Anjo Sapeca.
14 – CMEI Arco Íris.
15 – CMEI Flor do Campo.
16 – EMEB Professor Ricardo Hoffmann.
17 – EMEB Prefeito Henrique Liebl.
18 – EMEB Irene Olinda Teifck Ribeiro.
19 – EMEB Professora Selma Teixeira Graboski.
20 – Centro de Atendimento ao Estudante - CAE Nova Esperança.
21 – EMEB Arnaldo Almeida de Oliveira.
22 – Fanfarra Luiz Bernardo Olsen.
23 – Escola de Ensino Básico Jorge Zipperer.
24 – EMEB Professor Quiliano Martins.
25 – EMEB Pedro Henrique Berkenbrock.
26 – EMEB Professora Aurora Siqueira Jablonski.
27 – EMEB Integral Padre Cláudio Longen.
28 – EMEB Menino Jesus.
29 – EMEB Adélia da Luz Souza.
30 – Escola de Ensino Médio Manuel da Nóbrega.
31 – EMEB Lucinda Maros Pscheidt.
32 – Colégio Cenecista São José.
33 – EMEB Prefeito Frederico Lampe.
34 – Escola de Educação Básica Professora Marta Tavares.
35 – Rede Feminina de Combate ao Câncer.
36 - Associação de Moradores dos Bairros Vila Nova.
37 – Grupo de Escoteiros Arnaldo de Almeida Oliveira.
38 – SENAI – Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial.
39 – Fundação Municipal de Esportes.
40 – Sociedade Cracóvia.
41 – Sociedade Esportiva Ipiranga.
42 - Grupo de Capoeira Conceição.
43 – Rio Negrinho Moto Clube.
44 – 100 Limite Moto Clube.
45 – Jeep Clube de Rio Negrinho.
46 – Fusca Clube de Rio Negrinho.
47 – Cheiro da Terra Moto Clube.
48 – Equipe Lezma Racing.
49 – Polícia Militar de Rio Negrinho.

Distrito de Volta Grande

1 – Escola de Ensino Básico Luiz Bernardo Olsen.
2 – CMEI Dona Benta.
3 – CMEI Chapeuzinho Vermelho.
4 – EMEB Doutor Tomas Gasser.
5 – EMEB Pioneiro Marcelino Stoeberl.