quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Prefeitura analisa proposta do SESI para educação a distância de jovens e adultos

A conversa no gabinete do prefeito Alcides Grohskopf, nessa terça-feira, 16, ficou em torno da educação, melhor ainda na oportunidade dos jovens e adultos que não puderam concluir seus estudos concluírem a distância. A chamada Educação A Distancia- EAD foi uma proposta inovadora apresentada pela gerente da educação do Serviço Social da Indústria de Santa Catarina- SESI, Sandra Margarete Ferreira de Freitas, da gestora de educação do SESI Adriana Wiatek, e da diretora regional do SESI Rozane L. Zemann ao prefeito Alcides e a Secretária Municipal de Educação Anita M. Raschke.
A proposta apresentada pelo SESI é a Educação de Jovens e Adultos -EJA, voltada a jovens e adultos que não puderam concluir seus estudos. Agora, com a modalidade a distância proporciona ao trabalhador da indústria, do comércio a oportunidade de elevar sua escolaridade. O aprendizado pode ser utilizado nas diferentes relações cotidianas, dentro e fora do ambiente de trabalho. O programa é realizado pelo Sesi,  com foco para o Ensino Fundamental e Ensino Médio.
O aluno deverá cursar o Ensino Fundamental por 24 meses e o Ensino Médio por 18 meses para solicitar a certificação. Após a conclusão dos estudos, recebe o certificado com validade nacional e direito ao prosseguimento de estudos. Trata-se de educação à distância, com a utilização de DVDs e livros, com conteúdos dos Ensinos Fundamental e Médio, possibilitando aos jovens e adultos, por meio de metodologia inovadora, a formação de competências cognitivas, habilidades básicas e atitudes de cidadania, exigidas pela sociedade contemporânea. A proposta é que o aluno tenha aula presencial apenas uma vez na semana.
“Com uma proposta pedagógica que se apoia nos princípios de ensino contextualizado, oferecemos a parceria com nossa metodologia de ensino e o corpo docente do SESI os quais fazem parte da proposta”, falou a diretora do SESI Rozane L. Zermann. O valor a ser investido pela prefeitura é de R$ 3.600 mensal por turma de ensino. O prefeito elogiou a ideia. “É claro que precisamos incentivar o EJA, e essa modalidade a distância é inovadora tem tudo para dar certo”, destacou o prefeito Alcides.


Autodefensores da APAE visitam o prefeito Alcides


Os Autodefensores, um grupo de alunos representantes da Apae de Rio Negrinho acompanhados das professoras Elisangela Pscheidt, Lourdes Schelbauer e Sueli de Lima visitaram o gabinete do prefeito Alcides Grohskopf na tarde de terça-feira (16). O objetivo da visita foi apresentar ao prefeito o projeto “Acessibilidade faz parte do meu caminho” que visa conscientizar a população sobre a necessidade de promover a acessibilidade na cidade. 

Falaram das dificuldades enfrentadas para a locomoção de cadeirantes e andantes pela cidade a começar pelos locais públicos como a biblioteca, museu e passeios, o que levou a criar o projeto para instigar os alunos defensores a lutar por essa causa. “Nosso papel como educadoras na apae e motivar nosso aluno a lutarem pelos seus direitos. As leis existem, mas é preciso estar sempre lembrando”, disse uma das professoras.

O prefeito Alcides agradeceu a visita e reconheceu os problemas de acessibilidade que ainda existem no município e lembrou do projeto “Rio Negrinho do Futuro” que foi apresentado para a comunidade que tem por objetivo melhor a acessibilidade e mobilidade na cidade com pontes de acesso, elevado, passeios e ciclovias. “Melhorar a acessibilidade é uma preocupação constante, mas já estamos iniciando um trabalho nos passeios da Rua Willy Jung e aos poucos vamos estendendo para outras Ruas da cidade melhorando acessibilidade na cidade”, afirmou o prefeito.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

3ª Olimpíada de Língua Portuguesa

Olimpíada de Língua Portuguesa
       Professores e alunos da rede pública participaram da 3ª Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, que é uma iniciativa do Ministério da Educação (MEC) e da Fundação Itaú Social. Muito mais que um concurso de textos, a Olimpíada é uma oportunidade para o aperfeiçoamento de professores e uma ocasião especial para os alunos da rede pública desenvolverem competências de leitura e escrita. Os textos selecionados na etapa escolar foram para a Comissão Julgadora Municipal, que foi composta pelos seguintes profissionais: profª  Cremilda Martins Fuerst, profª Elizete Mainardes Appel, profª Ilse Vicente, representante da GERED Cristina Schoeffel e a poetisa Glícia Murara Neidert. Textos selecionados:
       POEMA
Título: Rio Negrinho de ponta a ponta
Aluna: Rita Fernandes Padilha
Professora: Eliane Neppel Pscheidt
Escola: EMEB Ricardo Hoffmann
MEMÓRIAS LITERÁRIAS
Título: Simples de se viver
Aluna: Hérica da Costa Luz
Professora: Sônia Aparecida Ribeiro Heckler
Escola: EMEB Lucinda Maros Pscheidt
CRÔNICA   
Título: Meu colega de classe
Aluna: Caroline Luiza Freitas Urbano
Professora: Sônia Aparecida Ribeiro Heckler
Escola: EMEB Lucinda Maros Pscheidt
       Parabenizamos a todos os alunos e professores que participaram da Olimpíada. Os textos selecionados nessa etapa representarão o município na etapa estadual.

                                       POEMA                   
                     Rio Negrinho de ponta a ponta


Rio Negrinho! Nessa cidade
Para sempre vou viver
E aos passar dos anos
Ver meus filhos crescer

Agora que já contei que vivo a sonhar
Essa cidade de ponta a ponta vamos explorar

Se você é um explorador como eu
E procura diversão
Vá a praça do avião
E solte a imaginação!

Se você é mais disposto
E adora fazer graça
Que tal um passeio
De Maria Fumaça?

E ainda tem muito mais
Para relembrar alguns anos atrás
Existiu a CIMO
Onde trabalharam nossos pais.

Durante tantos anos muita coisa aconteceu
Desde a casa das Nações a existência do Museu.

Até você vai ficar maravilhado
Com o nosso Natal Encantado.

                          MEMÓRIAS
                      Simples de se viver

        Contava lá pela década de 1940, tudo era muito simples. As casas eram construídas com madeira retirada do próprio terreno, cerradas pelos homens que vinham de todo lado, geralmente parentes do noivo ou da noiva. Foi assim que a casa de meus pais foi construída. Não pense que era serra dessas de hoje, a gasolina ou a óleo. Apenas dois homens podiam derrubar aquelas imensas árvores, que depois eram arrastadas por bois ou cavalos e levadas até o local da construção. Tudo era feito a mão. As telhas eram também de madeira, no formato certo para que todas fossem encaixadas. Erguiam-se imensos casarões que durariam para sempre. A casa de minha avó está lá para quem quiser ver. As árvores eram derrubadas sim, mas o povo tinha consciência e só tirava da natureza o que necessitava para viver. Assim era com a água, animais e todo o resto. A alimentação era retirada do cultivo da terra e dos animais que criávamos. Meu pai era criador de gado, cavalo para o transporte, vaca leiteira e boi. Vendia aos tropeiros que passavam de vez em quando por nossa propriedade. Eu ouvia lá da cozinha toda a negociação. O dinheiro tinha o nome de Réis.
       - A boiada vendo por 1000 réis, tropa de cavalos 2000 réis, o restante fazemos na base da troca.
        Sim, na base da troca. Os tropeiros eram a única ligação com a cidade mais próxima, então trocávamos a mercadoria por sal, café, tecido e outras coisas. Não era como hoje. O açúcar era mascavo, não existia o branquinho, com o trigo acontecia a mesma coisa. O tecido mais usado era o tergal e “saco” feito de algodão. Depois de retirar os alimentos e armazenar em garrafões, barris ou latões o saco passava por uma lavagem apurada, até ficar branquinho e se transformar em camisas, calças, bermudas e até roupa íntima para toda a família. As mulheres daquela época tornavam-se excelentes costureiras. Tinha meus sete anos quando os moradores da região decidiram que ali necessitaria construir uma escola e que a comunidade deveria se unir para conseguir. Não demorou muito e lá estava ela num local escolhido, onde todos daquele lugar tivessem acesso. Ficava longe da minha casa, levantávamos ainda no escuro, os mais velhos acordando e arrumando os mais novos e com o orvalho no rosto e nos pés pegávamos o carreiro por dentro da mata fechada. Na mão, a sacolinha feita de algodão para o caderno, cartilha, lápis e borracha. Lanche, na escola, não tinha. Cada um levava o seu. Nosso lanche era paçoca de carne feita no pilão e pão feito em casa. Lembro bem, quem não queria enfrentar o caminho descalço usava o tamanco feito de madeira e couro curtido, e para não passar vergonha usava o sapato durante as aulas, que eram levados na mão, lógico, não dava para estragar, eles eram comprados na cidade. Uma parte do dia era dedicada à escola e o restante aos afazeres da casa, cada um tinha sua tarefa. Eu, tão pequena já cumpria com a obrigação, cuidar do meu irmão mais novo, tratar as galinhas e recolher os ovos.
           Depois do serviço feito, era hora de jantar, todos em volta daquela mesa imensa com lugar suficiente para aconchegar, junto ao fogão de lenha, os doze filhos, meu pai e minha mãe. À noite, chegava o lampião de querosene e iluminava; era hora da tarefa escolar, sob os olhares atentos de meu pai. Seu olhar falava e todos nós entendíamos. O respeito não podia faltar.
            Os dias mais felizes! Posso contar, eram as tardes de domingo. Eu e meus irmãos podíamos sair para brincar. Era uma festa, pular o riacho pendurado no cipó, deslizar sobre o grande pinheiro descascado em cima de um pelego já surrado, tomar banho no rio, andar a cavalo pelos campos, brincar de esconde-esconde, subir nos pinheiros, balançar nas árvores, comer as frutas direto do pé, sapecar pinhão com fogo feito com grimpa do pinheiro, fazer cabana de folhas e taquaras.
            Sabe! Pensando bem, aquele pinheiro não foi deixado ali por acaso. Meu pai havia fabricado um grande escorregador e lá da varanda ouvindo seu rádio, espiava e se divertia junto com a gente.

                        CRÔNICA
                  Meu colega de classe

          Faz muitos anos que frequento a escola e se tem uma coisa da qual não esquecemos é aquele colega “chato”. Por quê? Porque simplesmente é aquele que incomoda a turma toda e não se liga. Acaba com a aula do professor e nem pergunta se estamos ou não interessados no assunto. Sempre tem alguém para puxar um “cochicho” e iniciar uma conversa sem graça. Brinca de “lutinha” como se fosse aluno lá do primário. Passa as aulas desenhando e não é aula de Arte. Pede cola na hora da prova porque nunca tem a matéria. Perturba para colocar seu nome no trabalho da equipe, e nem sequer ajudou. Não usa roupa adequada para as aulas de Educação Física, nem uniforme porque acha que escola foi feita para desfile de moda. Disfarça e joga lixo no chão, gruda o chiclete na carteira, sem contar aquele movimento horrível de mascar. Fura fila e dá empurrão. Vive exibindo o celular, até parece que só ele tem. Juro! Ele é sem noção. Diz meu professor de Ciências que o homem levou bilhões de anos para evoluir. Será que vou passar meus poucos anos de vida convivendo ainda com certos “Homens da Idade da Pedra” e para piorar da “Pedra Lascada”, até parece que não conhece civilização. Às vezes, é irritante ouvir a mesma ladainha dia após dia. Enquanto isso, o NERD não se liga! Não se toca! Desculpem! Não foi isso que quis dizer, NERDs, isso é elogio. Quis dizer MERDs. Minha mãe me educou, dizendo sempre. Filha! Tenha educação, escute os mais velhos. Não desperdice seu tempo, aproveite para estudar. Respeite seus professores. Cuide mais das coisas dos outros do que das suas. Não destrua o patrimônio público, ele é nosso também. Ajude mais do que seja ajudada. Não contribua para destruir e sujar a natureza. Pense antes de falar. Nunca se irrite... Conte até dez, violência não leva a nada. Não procure confusão, use roupas adequadas para cada ocasião. Respeite e ajude seu colega. Nunca deixe de estender a mão para quem necessitar. Respeite as regras, elas são feitas para serem seguidas, se não for assim não haverá negociação. A cada dia que passa percebo que ela tem razão. Agora entendo quando ela diz: “ O que o berço dá, só a cova tira”. Acho que está na hora de alguém pensar em pais assim. Quem sabe um CHIP implantado de fábrica não seria a solução? O mundo seria bem melhor...  Eu bem mais feliz... E o meu colega quem sabe assim, teria solução.

     

Alunas da EMEB Lucinda foram selecionadas para a 4ª Olimpíada de Língua Portuguesa


As alunas Caroline Luiza Freitas Urbano do 9º ano 2 e Hérica da Costa Luz do 8º Ano2 da Escola Municipal de Educação Básica professora Lucinda Maros Pscheidt do bairro Vista Alegre de Rio Negrinho foram selecionadas para participar da 4ª Edição da Olimpíada de Língua Portuguesa, Escrevendo o Futuro.

Caroline Luiza Freitas Urbano participou na categoria Crônica com o texto “Meu colega de Classe”. A aluna Hérica da Costa Luz participou na Categoria Memórias Literárias com o texto “Simples de se viver”. As alunas foram orientadas pela professora Sonia Aparecida Ribeiro Heckler. De acordo com a diretora pedagógica prof. Ana do Prato, os textos seguem para a avaliação das Comissões Julgadoras Estaduais que farão a leitura e seleção no período de 25 de setembro a 10 de outubro.

O diretor Lucílio Duffeck parabenizou a professora Sonia e as alunas pela conquista. “Que alegria mais uma participação importante de nossa escola num projeto audacioso, a olimpíada de Língua Portuguesa. Estamos torcendo para que nossas alunas se classifiquem para as semifinais”, comemora o diretor.

Desfile Cívico do dia da Pátria


O Desfile Cívico do 7 de setembro, aconteceu na Rua Willy Jung, bairro Centro, sentido rodoviária para o centro. Os atos cívicos de hasteamento dos pavilhões, Nacional, Estadual, Municipal, pronunciamentos das autoridades iniciaram às 8h e logo após o desfile Cívico com a participação das Escolas municipais, estaduais, particular entidades e clubes de serviços.
No Distrito de Volta Grande o desfile aconteceu no sábado, 06 de setembro com início às 10h, na Rua Pascoalino Burnacorso, próximo a Sub-Prefeitura. Estavam animando o desfile a Banda Marcial professor Ricardo Hoffmann, Banda Marcial Gralha Azul da escola professora Selma Teixeira Graboski, Fanfarra prefeito Frederico Lampe, Fanfarra Luiz Bernardo Olsen e Banda Concerto da Fundação Municipal de Cultura.


Divulgação Ideb 2013: Inep disponibiliza resultados do Índice de Desenvolvimento da da Educação Básica (Ideb) para todas as etapas.

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2013 mostra que o país ultrapassou as metas previstas para os anos iniciais (1º ao 5º ano) do ensino fundamental em 0,3 ponto. O Ideb nacional nessa etapa ficou em 5,2, enquanto em 2011 havia sido de 5,0.
Os anos iniciais do ensino fundamental são oferecidos prioritariamente pelas redes municipais, que respondem por 81,6% das matrículas da rede pública nessa etapa. O total de estudantes nos primeiros anos do fundamental é de 15.764.926, sendo 13.188.037 de escolas públicas. As metas da rede municipal de ensino foram alcançadas por 69,7% dos municípios brasileiros. 
A rede estadual, que atende apenas 18% das matrículas públicas nessa fase, também superou suas metas. Em 75,7% dos municípios, as escolas estaduais superaram a nota 5,0 prevista para 2013. Ao todo, nessa etapa, 5.293 municípios tiveram Ideb calculado para a rede pública.
Na rede federal, o Ideb aumentou de 6,8 em 2011 para 7,0 em 2013 nos anos iniciais.
Progressão - Em 2005, quando o Ideb foi calculado pela primeira vez, 57,5% (7,1 milhões) das crianças nos anos iniciais estavam matriculadas em escolas municipais de redes de ensino com avaliação abaixo de 3,7 — média nacional de então. Com a evolução do indicador nos últimos anos, o percentual caiu para 16,2% (1,7 milhão) em 2013. 
Com relação aos índices de avaliação mais elevados, ainda nos anos iniciais, o registro em 2005 era de 2,9% das crianças (cerca de 357 mil matrículas) matriculadas em escolas municipais com Ideb acima da nota 5,0. Em 2013, o percentual saltou para 45% - 4,8 milhões de estudantes – na mesma situação.
Anos finais - Nos anos finais (6º ao 9º ano) do ensino fundamental, o Ideb nacional cresceu de 4,1 em 2011 para 4,2 em 2013. Do total de 5.369 municípios com índice da rede pública calculado nessa etapa, 39,6% atingiram as metas previstas para 2013 na rede pública, que atende a 86,5% dos matriculados nessa etapa (um total de 13.304.355 estudantes). Na rede federal, o Ideb se manteve em 6,3.
Em 2005, somente 2,4% dos estudantes da rede pública (329 mil alunos) concentravam-se em faixas de Ideb acima de 4,5. Em 2013, este total aumentou para 22,2%, abrangendo 2,5 milhões de estudantes. Redes com Ideb inferior a 3,4 atendiam a 7,5 milhões de estudantes (56,2%) em 2005. Agora, englobam 26,1% dos alunos (2,9 milhões de matrículas).
Os dados mostram que a dificuldade para atingir as metas acontece também na rede privada, que alcançou nota 5,9. A meta prevista era de 6,5.
Ensino médio - O Ideb do ensino médio se manteve em 3,7. A rede estadual – responsável por 97% das matrículas da rede pública – registrou o mesmo índice de 2011 (3,4), assim como a rede federal (5,6). A rede privada apresentou queda, passando de 5,7 para 5,4. 
O Ideb é obtido pelas notas do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e pela taxa média de aprovação percentual. 
Fonte: INEP 
http://goo.gl/rQ7c51

UNC apresenta grandes resultados no Campus de Rio Negrinho

O diretor do Campus da Universidade do Contestado-UNC de Rio Negrinho, Ivan Rech, esteve no gabinete do prefeito Alcides Grohskopf, na manhã de terça-feira, 9, e apresentou as melhorias que conseguiu para o campus nesse ano. Com uma reforma no prédio e com avanços no ensino o diretor Ivan apresentou o novo curso de psicologia que passa a ser oferecido pelo campus de Rio Negrinho. “Com essa oferta do curso de psicologia vamos ampliar nossa parceria com o município, pois vamos oferecer também atendimento clinico a comunidade”, falou o diretor Ivan.
O diretor falou ainda dos planos para investimento em construção. “Temos a ideia de no futuro construir um novo bloco na parte da frente do campus”, destacou. Ainda como o município apresenta uma identidade muito forte com a música, há uma possibilidade para oferta do curso de Licenciatura em Música, que hoje já é oferecido pela UNC de Porto União.
Nesse ano foram 40 novos alunos que adentraram na UNC de Rio Negrinho, totalizando 400 universitários com aulas presenciais e a distância. O prefeito falou da administração de portas abertas. “Estamos aqui para receber a todas as instituições e quero dizer que a UNC tem nosso apoio e parceria também”, completou o prefeito. Com um dinamismo no trabalho e com muito entusiasmo nas ações o diretor Ivan aproveitou a visita para estreitar laços entre a UNC e o poder público. 

Educação promove palestra Altas habilidades

Educação promove palestra Altas habilidades em pauta
A Secretaria Municipal de Educação de Rio Negrinho em parceria com a Escola Municipal de Educação Básica Integral Pe. Cláudio Longen, promove no dia 12 de setembro, sexta-feira às 14h na Câmara Municipal de Vereadores a palestra “Esse aluno é desatento, inquieto, dispersivo ou simplesmente é curioso, inteligente ou superdotado?”, com a Mestre Maria Lúcia Sabatella.

De acordo com a secretária municipal de Educação Anita Meister Raschke, a inteligência, a criatividade, o entusiasmo e as habilidades da criança, constituem os pilares de sua formação e a principal fonte de êxito na aprendizagem. “A palestra vem contribuir muito nesse sentido, daí a importância da participação dos profissionais que diariamente trabalham com a criança, visando o comprometimento com a educação”, disse a secretária.

Sobre a palestrante

Maria Lúcia Prado Sabatella - consultora e pesquisadora, especializada em Educação de Superdotados. É graduada em Música e Mestre em Educação pela Universidade Federal do Paraná - Curitiba - Brasil. Atua como delegada do Brasil no World Council for Gifted and Talented Children (Conselho Mundial para Crianças
Superdotadas e Talentosas).

É membro da Federación Iberoamericana del World Council for Gifted and Talented Children (Federação Ibero-Americana do WCGTC), da National Association for Gifted Children, (Associação Nacional para Crianças Superdotadas), do European Council for High Ability(Conselho Europeu para Altas Habilidades) e sócia fundadora do Conselho Brasileiro para Superdotação- CONBRASD.

Frequentemente é convidada para entrevistas sobre Inteligência, Superdotação e Talento em emissoras de rádio e TV. Atua como professora orientadora e docente em cursos de Pós-Graduação participa de seminários e palestras em diversas instituições educacionais e realiza apresentações em
Conferências de âmbito nacional e internacional. Em uma iniciativa pioneira, fundou o Instituto para Otimização da Aprendizagem - INODAP, com a finalidade de estabelecer um padrão de procedimentos para o desenvolvimento do superdotado, que melhor se adapte ao contexto da educação brasileira. A equipe do Instituto, em permanente pesquisa, desenvolveu um processo de identificação e avaliação do potencial da criança, do jovem e do adulto, e oferece alternativas de interação para permitir que os superdotados possam reconhecer e maximizar seu potencial.

Atualmente o Instituto para Otimização da Aprendizagem - INODAP é considerado como referência na área de Educação Especial - Superdotação, inscrito no Conselho Brasileiro para Superdotação - CONBRASD e comregistro no Conselho Regional de Psicologia sob nº CRP-08-PJ/0218.

A audição reúne no mesmo palco músicos de 8 a 80 anos


Esta quinta audição interna da Escola de Musica Professor Valdeci Maia, aconteceu na noite de quarta-feira, 10, contou com a apresentação dos alunos de teclado, trompete, técnica vocal, grupo vocal da e  o Coral da Terceira Idade “Chuva de Prata”, coordenados pelos professores Gerson Zellner e Gelson Reichardt.
 “Temos programadas para este ano ainda duas Audições Internas, dia 1º de outubro com alunos de teclado e violão; e 20 de outubro com alunos de violino e saxofone que acontecerão no auditório do Centro de Excelência. Teremos ainda a Audição de encerramento no distrito de Volta Grande que será dia 5 de dezembro e a Audição Final na Sociedade Musical dia 16 de dezembro” relatou a diretora da Escola de Musica Kelly Sonia Ramos.
Ela explicou também que tem algumas vagas disponíveis em que as matriculas acontecem até metade do mês de outubro: Teclado, Piano, Violino, Bateria, Técnica Vocal e Saxofone. Um projeto gratuito também será realizado durante todo o ano, o resgate do sopro com aulas de Trombone, Trompete, Bombardino e Clarinete.  Musicalização Infantil  de quatro a 7 anos, Canto Coral Infanto Juvenil de nove a 13 anos e Flauta Doce a partir dos cinco anos.
  A Escola de Música professor Valdeci Maia, fica localizada no bairro Bela Vista, na rua Carlos Hantschel, 459, pelo telefone: 3644 3378.  

 A noite foi de espetáculo dividido pela bela voz dos alunos, em meio ao nervosismo da primeira apresentação, o Centro de Excelência Evaristo Stoebrl ficou lotado dando uma acústica melhor para apresentação. As autoridades como presidente da câmara de vereadores Mauro João Dolla, secretária da família Eliane D. Treml, diretora da escola de musica professor Valdeci Maia Kelly Sonia Ramos foram recepcionados pela diretora presidente da Fundação Municipal de Cultura Viviane T. Santin que representou o prefeito Alcides Grohskopf. O diretor da Fundação de Cultura Alex Ramos, fez a apresentação da audição trazendo brilhantismo ao evento e deixando todo público muito confortável para assistir as apresentações musicais.

            O último número emocionou a todos, pela integração de crianças, adultos e idosos que interpretaram Conquestof Paradise de Vangelis, todos ocupando o mesmo palco no canto e nos instrumentos musicais.

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Setor da merenda realiza palestra


Na noite desta terça-feira, 26, nas dependências do CMEI Vila Nova, as Nutricionistas da Secretaria de Educação, Camille Dornelles Binder e Monya dos Anjos, ministraram uma palestra sobre alimentação saudável para pais de alunos.

A palestra encerrou o Projeto Alimentação Saudável, trabalhado por todas as turmas do CMEI  do Berçário ao Nível III. O Projeto desenvolveu diversas atividades com os alunos e teve por objetivo estimular o consumo de alimentos saudáveis e a importância  para a promoção da saúde.

As Nutricionistas explanaram sobre os conceitos da Pirâmide Alimentar, em que foi ressaltado o consumo  de alimentos de todos os grupos alimentares  como massas e cereais, preferencialmente integrais, frutas e verduras,  carnes, ovos, leite e leguminosas, porém com moderação.
"Foi enfatizado também que os hábitos alimentares são formados nos primeiros anos de vida, por isso a importância de se oferecer alimentos saudáveis e de forma lúdica nesta fase, a fim de que os bons hábitos de alimentação continuem na adolescência e vida adulta, promovendo a saúde e prevenindo doenças", destacou Camile.

terça-feira, 2 de setembro de 2014

CMEI Espaço Criança realiza Gincana com os pais


O Centro Municipal de Educação Infantil Espaço Criança do bairro Barro Preto, realizou no sábado (23), no campo do Schade uma Gincana envolvendo os pais e os alunos. A diretora Janete Rosane Jantsch Hacke explica que foi um sábado diferente, de muito sol, alegria e descontração onde pais e alunos se divertiram. “Foi uma bela confraternização entre professores, pais e alunos, com o objetivo de integrar o processo pedagógico a uma dimensão cultural e cidadã, com base na afetividade e na solidariedade entre os participantes. Brincar com os filhos, vibrar com as conquistas, assim como apoiar nos momentos de dificuldades da criança, faz parte da convivência e geram benefícios que se prolongam por toda vida”, enfatiza a diretora Janete.

A direção e professores do CMEI Espaço Criança agradecem a todos os pais que compareceram enriquecendo ainda mais a atividade fortalecendo os vínculos entre pais e filhos. 

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Sintonia na aplicação dos conteúdos na rede municipal de ensino

A palavra é saber aonde quer chegar, e a forma para isso é planejar, foi assim que a Secretaria Municipal de Educação de Rio Negrinho iniciou um trabalho de planejamento por disciplina escolar. “Nós temos uma rede municipal de ensino, por ser uma rede tudo tem que caminhar com uniformidade”, destacou a secretária Anita M. Raschke. Ela explicou, caso  um aluno precise ser transferido de escola tem o mesmo conteúdo no mesmo período de tempo em outra. Um exemplo prático é que com esse planejamento o aluno que estuda no primeiro ano, primeiro bimestre de uma escola tem o mesmo conteúdo do aluno das outras escolas da rede no mesmo período, tema e conteúdo. Cada professor recebe um pen drive com as informações do planejamento por série, conteúdo e bimestre do ensino.
Uma comissão por área de ensino foi formada para debater e estudar todos os conteúdos. De acordo com a grade curricular os temas foram definidos. Durante essa sexta-feira, 29, uma turma de professores de artes concluía o planejamento. “Essa é a primeira estruturação especifica sendo feita, e está sendo muito eficiente”, destacou a diretora de ensino Silvane Batista durante o planejamento com os professores de artes.
A sintonia que serve tanto para os alunos que professores, os quais podem ser transferidos e mantém o mesmo conteúdo.

 

Palestra sobre déficit de aprendizagem e uso de medicamentos


Uma aula de convívio em sociedade para melhorar o aprendizado da criança, embora o tema da palestra promovido entre a Secretaria de Saúde e da Educação nessa tarde de segunda-feira, 1º de setembro, fosse dificuldades de aprendizagem a médica e palestrante Luci Pfeiffer ministrou por duas horas muito além da questão da medicação Ritalina indicada com freqüência às crianças hiperativas.

 A médica Luci trouxe desde o desenvolvimento cognitivo defendido por Piaget na atividade mental, também apresentou o estágio de desenvolvimento psicossesual de Freud. “Quem se propõe a atender uma criança pequena tem que cuidar muito das reações com o que fala diante dessa criança por menor que ela seja”, falou a medica Luci. Para os profissionais da educação, da saúde e pais que participaram a tarde foi de muita atenção na palestra que chamou atenção para dificuldade de aprendizagem da criança relacionada com os demais do seu convívio. Ela ainda completou dizendo sobre os pais. “Conhecer a infância dos pais, reflete no que eles vão passar para seus filhos, os pais reproduzem sem filtro na educação de seus filhos”, completou a palestrante.
As condições para aprender exigem saúde física, nutrição, alimentação, sono adequado, sentidos visão e audição. À tarde de estudo serviu para que pais, professores e médicos pudessem aprender mais sobre a real necessidade de uso de medicamentos para diagnósticos de hiperatividade, e déficit de aprendizagem. Para o secretário de saúde Pablo Ribeiro o encontro foi necessário. “Precisamos trabalhar em parceria para o bem do nosso aluno, vai além do medicamento em muitos casos”, completou Pablo se referindo a real convivência que muitas vezes faz com que a criança nem precise de medicamentos.